"GESTÃO ESTRATÉGICA DE CARREIRA PROFISSIONAL"
"ECONOMIA & MERCADO"
"TÉCNICAS DE LIDERANÇA QUE INSPIRAM SEGUIDORES"
"CENÁRIOS E COMPETITIVIDADE"
"GESTÃO DO VAREJO"
"VISÃO MULTIDISCIPLINAR"
"ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA"
"CONSULTORIA EMPRESARIAL"
"EDUCAÇÃO CORPORATIVA"
"TREINAMENTOS IN COMPANY"
"RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTEL"
"GESTÃO ESTRATÉGICA DO CAPITAL HUMANO"
"GESTÃO DAS RELAÇÕES & COMPORTAMENTO HUMANO"
"FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA JOVENS"
"COMUNICAÇÃO & RELACIONAMENTO"
"CIRCUITO BRASILEIRO DE MARKETING & VENDAS"
"PALESTRAS DE ALTA PERFORMANCE"
"ESTRATÉGIAS DE NEGOCIAÇÃO"
"GESTÃO FINANCEIRA PARA COLÉGIOS PARTICULARES"
"ADMINISTRAÇÃO DO PORTIFÓLIO DE CLIENTES"
"WORKSHOP PARA LIDERANÇA"
"LIDERANÇA PARA FAZER ACONTECER"
"ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO"
"ESTRATÉGIAS DE MARKETING PARA O VAREJO"
"CONSULTORIA EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO"
"SAIBA PLANEJAR PARA CRESCER"
"GESTÃO DO CONHECIMENTO"
"ASSOCIATIVISMO"
"TÉCNICAS PARA RECRUTAMENTO & SELEÇÃO"
"CONSULTORIA JURÍDICA"
"COMO PREPARAR LOJA E EQUIPE PARA VENDER MAIS"
"MOTIVOS + AÇÃO = MOTIVAÇÃO"
"ESTRATÉGIA DE CLIENTES"
"FAZER FORTUNA COM VENDAS DIRETAS"
"ORIENTAÇÕES PARA MARKETING DE MULTINÍVEL"
"MARKETING ESPORTIVO"
"COMO ATRAIR PATROCÍNIOS PARA ATLETAS E CLUBES"
Prof. José Luiz Mazolini. O Brasil Inteiro Conhece!
"VAREJO SUSTENTÁVEL"
"PALESTRAS ACADÊMICAS"
"EMPREENDEDORISMO"

De: 09/10/2013 14:09:00Passagem aérea fica 17% mais cara e é vilã da inflação de setembro

Passagem aérea fica 17% mais cara e é vilã da inflação de setembro

Apesar da aceleração dos preços de importantes alimentos, vestuário e itens de habitação, o grande vilão da inflação em setembro foi o aumento das passagens aéreas, num momento de intensa procura e alta de custos, reflexo do preço mais elevado do combustível --que tem cotação em dólar.

Para o consumidor, os bilhetes ficaram 16,9% mais caros em setembro, após uma queda de 0,61% em agosto.

Segundo Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE, o combustível é o item de maior peso no custo total das companhias aéreas, que embutiram o aumento no preço das passagens. "As companhias alegam que não repassaram tudo, mas algum repasse ocorreu", afirmou.

Sozinho, o reajuste dos bilhetes aéreos correspondeu a 0,08 ponto percentual do IPCA de 0,35% --ou 24% do índice. Foi o produto que individualmente pesou mais na inflação de setembro --em seguida, veio o pão francês, com impacto de 0,04 ponto percentual, que também sobe na esteira da alta do dólar e do maior custo da importação de trigo.

A coordenadora do IBGE disse que, mesmo em período de baixa temporada, a demanda por passagens aéreas ficou aquecida por conta de dois eventos que movimentaram muitos turistas: o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em Belém, e o festival de música Rock in Rio.

Nesse cenário de maior procura por bilhetes, ficou mais fácil para as companhias repassarem o custo maior com o combustível.

Com o aumento das passagens aéreas, o grupo transporte saiu de uma deflação de 0,06% em agosto para uma alta de 0,44% em setembro --a de maior peso no IPCA do mês.

Apesar do forte reajuste em setembro, as passagens acumulam uma queda de 14,37% de janeiro a setembro. Em 12 meses, porém, a variação ficou positiva em 13,94%. O índice pega os meses finais de 2012, habitualmente cresce a procura por passagens áreas no fim do ano e os preços sobem.

ÔNIBUS

O grupo transportes subiu também por conta do fim do efeito benéfico da retirada dos reajustes de ônibus nas principais capitais, após a onda de protestos de junho. O impacto, que conteve a inflação, ficou concentrado em julho e agosto, quando as tarifas recuaram 3,32% e 0,20%, respectivamente.

Dentre as 11 capitais e regiões metropolitanas pesquisadas, apenas Fortaleza e Curitiba aumentaram as passagens de ônibus neste ano. Em Porto Alegre, onde começaram os primeiros focos de protesto contra o elevado custo do transporte público, os ônibus caíram 1,75%. Em Salvador, houve retração de 7,14% graças à redução da passagem aos domingos.

Em São Paulo, os preços ficaram estáveis, assim como nas demais áreas pesquisadas.

GASOLINA

Beneficiada pela safra recorde de cana e a consequente elevada produção de etanol, a gasolina ficou 0,42% mais barata em setembro. O derivado de petróleo recebe adição de 25% do biocombustível. Já o etanol recuou 0,72%.

Tal cenário, dizem analistas, abre caminho para um aumento da gasolina, pleiteado há meses pela Petrobras e sempre postergado pelo governo para não pressionar ainda mais a inflação.

Com o IPCA em 12 meses abaixo do teto da meta e no menor nível do ano (5,86%) e o recuo do preço dos combustíveis, abre-se uma janela para um reajuste em outubro, previsto pela LCA e outras consultorias.

A queda do etanol ajuda ainda a Petrobras. Com preço menor, o álcool fica mais competitivo em vários Estados, o que tende a reduzir o consumo de gasolina e a necessidade de importação do produto pela estatal.

GRUPO Variação (%) - Agosto
Alimentação e Bebidas 0,14
Habitação 0,62
Artigos de Residência 0,65
Vestuário 0,63
Transportes 0,44
Saúde e Cuidados Pessoais 0,46
Despesas Pessoais 0,20
Educação 0,12
Comunicação -0,04

Parceiros Abaixo
Colégio Americano DoctumUNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ - UNOPARCESCONETO ATACADOCORREIO CAPIXABAAssociação Comercial de VitóriaPortalflexRede Doctum de EnsinoAsociação dos Empresários de Serra -ESFaculdade Estácio de SáFaculdade UCL

Assine nossa Newsletter Cadastre-se para receber informativos




E-mail:contato@mazoliniconsultoria.com.br - Tel.:(27) 3328.5969 - Cel.: (27) 9991.5729

©2020 Agência Kairós